1.4.08

 

Oscar Niemeyer - o arquitecto fez 100 Anos





"De um traço nasce a arquitetura. E quando ele é bonito e cria surpresa, ela pode
atingir, sendo bem conduzida, o nível superior de uma obra de arte."




"É claro que esse momento de inspiração surge somente quando uma idéia se impõe como raiz de uma solução procurada. Teve-o Le Corbusier quando criou o grande arco no projeto Centrosoyus de Moscou; Picasso, desenhando os croquis de Guernica; Einstein, a teoria da relatividade e Manuel Bandeira ao terminar de forma tão bonita seu verso sobre a morte - "Encontrará lavrado o campo, a casa limpa, a mesa posta, com cada coisa no seu lugar."



"Quando uma forma cria beleza tem na beleza sua própria justificativa."
"A monumentalidade nunca me atemoriza quando um tema mais forte a justifica. Afinal, o que ficou da arquitetura foram as obras monumentais, as que marcam o tempo e a evolução da técnica. As que, justas ou não sob o ponto de vista social, ainda nos comovem. É a beleza a se impor na sensibilidade do homem."
"Na Arquitetura debrucei-me por toda a vida. Foi o meu hobby, uma das minhas alegrias, procurar a forma nova e criadora que o concreto armado sugere. Descobri-la, multiplicá-la, inseri-la na técnica mais avançada, criar o espetáculo arquitetural."



"(...) estou convencido que um arquiteto não deve se limitar à aprendizagem de seu métier. Ele deve ter uma cultura geral, ler os clássicos, os escritores contemporâneos, para melhor compreender seu ambiente cultural. (...) eu sempre pensei que um arquiteto de talento deve saber desenhar e escrever. Ele não poderá fazer nada de grande ou de belo se não possuir essas duas qualidades. A terceira é a imagem; logo, a negação de regras."




"Sempre acrescentei nas minhas palestras que não dava à arquitetura maior importância e não havia nada de desprezível nessas palavras. Comparava-a a outras coisas ligadas à vida e ao homem, referia-me à luta política, à colaboração que todos nós devemos à sociedade, aos nossos irmãos mais desfavoráveis. O que se compara à luta por um mundo melhor, sem classes, todos iguais ?



"Nunca me calei. Nunca escondi minha posição de comunista. Os mais compreensíveis que me convocam como arquiteto sabem da minha posição ideológica. Pensam que sou um equivocado e eu penso a mesma coisa deles. Não permito que ideologia nenhuma interfira em minhas amizades."



"Jamais fui hostil a movimentos de protesto, inclusive dos países socialistas. É necessário protestar contra a miséria, as injustiças, as desigualdades. Toda palavra dita com coragem no movimento só pode merecer minha estima."
"Sempre discordei de meus bravos camaradas quando repetiam que devíamos ser otimistas, que nada adianta querer constatar o drama da existência, que o importante não é a morte, mas a perpetuação da espécie. Sempre lhes respondi que nossos filhos, netos e todas as gerações seguintes terão as mesmas inquietudes sobre o universo, o futuro do homem, a morte. Eles conhecerão como nós os momentos de angustia."



"(...) gosto do meu país; das suas grandezas e misérias; do Rio, das suas praias e montanhas; dos cariocas, tranqüilos e desinibidos, como se a vida fosse justa e eles a desfrutavam sem discriminação. Como gosto deste país imenso! Do Norte ao Sul. Dos mais abandonados a fugirem da seca, sem casa nem comida, marcados pelo desespero; dos meus irmãos favelados, a ocuparem os morros com suas revoltas. Como tento desculpá-los quando a vida os transforma e a justiça dos homens os cerca implacável."



"Quando um arquiteto projeta um edifício e olha seus desenhos na prancheta, ele vê a planta projetada como obra já construída. Em transe, se o projeto o apaixona, ele nela penetra curioso, a examinar formas e espaços livres, a considerar os locais onde pensou um painel mural, uma escultura ou simplesmente um desenho em preto e branco. (...) é o ato da criação, a integração tão procurada das artes plásticas com a arquitetura.""



"(...) não sou tão ingênuo para seguir os que dão aos que fazem importância extraordinária e se julgam predestinados, prontos a entrar na história. Sou realista e sei muito bem como as coisas são precárias e ilusórias diante do tempo que tudo vai diluir e esquecer."



Dedico esta pequena homenagem a Oscar Niemeyer e também ao meu irmão António, "que nasceu para a arquitectura" e a ela se tem dedicado com enorme sensibilidade e profissionalismo.

Etiquetas: , ,


Comments:
Olá Teresa

Vou estar no Porto, Mercado Ferreira Borges, 18, 19 e 20 de Abril. Tenho convites para dar.

Ana
 
Olá Ana!
Vi e comprei alguns dos teus tra- balhos na Mãos à Arte.Gostava de te conhecer no Mercado Ferreira Borges.Como posso ter acesso aos teus convites?Qual é o teu email?
Abraços Teresa
 
anaglebre@gmail.com
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?